0

Curumim

CurumimDizia o psicólogo Abraham Maslow que existe uma escala de necessidades na vida. A base da pirâmide de Maslow seria composta pelas nossas necessidades fisiológicas, ou seja, comer, beber, dormir, respirar….Só nos preocuparíamos com os níveis seguintes, o das necessidades de segurança, de relacionamentos sociais, auto-estima e realização pessoal, a partir do momento em que estivéssemos com o primeiro nível devidamente saciado. Simplificando: não dá para pensar em estar bonito ou ser bem sucedido profissionalmente se estou apertado para ir ao banheiro ou morrendo de frio…

Sempre pensei que para um bebê recém nascido, o foco principal seria assegurar estas coisas básicas, ou seja alimentá-lo no peito, mantê-lo limpo, agasalhado e deixá-lo hibernar. Quando vi a lista de coisas recomendadas para alguém que mal chegou ao mundo, imagino que Maslow deva ter se revirado em sua tumba…Chupeta com termômetro acoplado para controlar a temperatura do bebê, aquecedor de mamadeira portátil que liga no carro, lixo que neutraliza os odores dos detritos produzidos pelo príncipe, aquecedor de lencinhos umedecidos para que seu bumbunzinho não tenha um choque térmico…

Quando vejo tudo isto, tenho um lampejo de remorso. Se eu não comprar estes cacarecos, será que eu serei um pai alienado e desatualizado ? Será que eu serei acusado de tratar meu filho como um curumim  da tribo dos Tupiniquins, ou seja desprovido dos confortos do mundo moderno ? O remorso passa rápido…Foco no básico !  A escala de necessidades do meu filho será devidamente atendida com o leitinho da mamãe e sem estes apetrechos, que nada mais mais são do que facas Ginzu e meias Vivarina versão recém nascido.

0

O tempo é relativo

Você sempre achou que uma gravidez levava 9 meses. Santa ignorância…Falar em meses para uma mulher grávida é algo parecido com dizer a um brasileiro que Maradona é melhor do que Pelé…Desperta sentimentos pouco nobres. Aprenda que como parte do seu processo de aceitação como pai, a sua unidade de medida para qualquer coisa relacionada a gravidez, deve ser obrigatoriamente convertida em semanas. Não tente roubar no jogo e ficar dividindo as coisas por 4 para seguir falando em meses, isto não apenas não é aceito como é duramente reprimido. Para as mulheres as suas semanas são como números primos, divisíveis apenas por 1 e por eles mesmos. Depois de algumas tentativas frustradas de chegar a um denominador comum, desisti de entender a matemática fundamentalista que os obstetras insistem em disseminar (não me consta que eles tenham sido muito exigidos nesta disciplina ao longo de sua vida acadêmica). Estou confiando bem mais na sabedoria numérica da natureza…quando o bebê estiver pronto para nascer, ele dará os seus sinais e aí o tempo passará a ser medido em contrações por minuto, o que é bem mais legal….